quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

MITOS

1. MUITOS PAIS ACREDITAM QUE ACOMPANHAR O DESENVOLVIMENTO DO FILHO É TAREFA FÁCIL.
2. PARA EDUCAR UM FILHO NÃO PRECISA DE PREPARAÇÃO.
3. QUANDO SE AMA DE VERDADE, NÃO SE PODE FICAR IRRITADO COM O FILHO.
4. O CHORO DA CRIANÇA É IGUAL AO DO ADULTO.
5. O FILHO, FAZENDO O QUE QUER, ESTARÁ FELIZ.
6. AMEAÇAS FEITAS E NÃO CUMPRIDAS.
7. QUEBRAR A VONTADE DA CRIANÇA, TORNA OS ADULTOS PODEROSOS.
8. EXISTE UMA MALDADE INATA NA CRIANÇA.
9. COAGIR A CRIANÇA A LEVARÁ À COOPERAÇÃO.
10. O BEM, É OBEDECER À VONTADE DO ADULTO.

1. MUITOS PAIS ACREDITAM QUE ACOMPANHAR O DESENVOLVIMENTO DO FILHO É TAREFA FÁCIL.
É uma das mais árduas tarefas já que os pais não fazem nenhum treinamento para acompanhar este desenvolvimento. A criança todos os dias é um individuo diferente, modificado pelo seu desenvolvimento, daí podermos dizer que todos os dias temos um novo filho. Os pais não sabem ainda como desenvolver a inteligência que é a capacidade de adaptação. A única que realmente garante o futuro de seus filhos.


2. PARA EDUCAR UM FILHO NÃO É NECESSÁRIA UMA PREPARAÇÃO ESPECIAL.Parece que cuidar de uma criança é uma função natural, esquecendo a complexidade intelectual para sua formação total e geral. Os bilhões de neurônios de um ser humano devem ser cuidados para se combinarem na sua complexidade máxima e gerar o conhecimento.
3. QUANDO SE AMA DE VERDADE, NÃO SE PODE FICAR IRRITADO COM O FILHO.O amor não é um imunizador para as relações que os pais estabelecem com seus filhos. E a falta de preparação, não entender a fase de desenvolvimento intelectual e emocional na qual seu filho se encontra poderá ser fonte de estresse para os adultos. As crianças entendem muito mais a irritação de seus pais do que eles pensam. Seja positivo e mostre a eles seus sentimentos verdadeiros. Ele precisa aprender que existe frustrações na vida.
4. O CHORO DA CRIANÇA É IGUAL AO DO ADULTO.
A falta de conhecimento acarreta a interpretação errônea de que todas as ações das crianças podem ser analisadas com os modelos de comportamento adultos. Uma criança levara até 18 anos mais ou menos para ser um adulto. O choro da criança pode e deve ser analisado de acordo com as circunstâncias em que ele ocorra. Por ex. cansaço, fome, indisposição, frustração, tristeza, raiva, etc... Qualquer uma destas reações pode provocar o choro na criança, já no adulto este está muito ligado a tristeza.
5. O FILHO, FAZENDO O QUE QUER, ESTARÁ FELIZ.A criança quer as coisas momentaneamente não faz um planejamento, logo o que ela quer pode rapidamente tornar-se motivo de grande frustração e tristeza. A felicidade das crianças até 7/8/9 anos está muito ligada as vontades dos adultos, somente depois desta idade começam a fazer pequenas escolhas que devem ser analisadas e apoiadas pelos adultos para que não causem tantas frustrações. Sempre que dá errado, a criança acha que será sempre assim.
6. AMEAÇAS PODEM SER FEITAS E NÃO CUMPRIDAS.
As ameaças servem sempre aos propósitos dos adultos. É uma forma deles acharem que resolveram situações de conflito. Muitas vezes não são cumpridas até por serem impossíveis de se realizarem, o que torna a palavra dos adultos desacreditada. Não resolva sua raiva eduque seu filho.
7. QUEBRAR A VONTADE DA CRIANÇA, TORNA OS ADULTOS PODEROSOS.Muitas vezes os adultos só conseguem sentir-se poderosos quando subjugam as crianças, já que em seus relacionamentos com adultos tem muitas dificuldades. Você neste momento pode estar destruindo a personalidade desta criança que esta querendo aprender como funciona a sociedade adulta. Escute sua criança e sinta suas aflições que podem ser muito simples mais são verdadeiras, ela é apenas uma criança. A vontade das crianças deve ser do conhecimento dos adultos que a estão educando, não contrarie só para mostrar o seu poder. Ela já o conhece e tentará destruí-lo a todo momento se estiver crescendo.
8. EXISTE UMA MALDADE INATA NA CRIANÇA.Não existe nada inato no comportamento, tudo é aprendido numa interação entre o sujeito e o meio. O que parece maldade é simplesmente a criança querendo o rigor da aplicação das regras que ela já conhece e não consegue ainda flexibilizar, pois os adultos passam para elas como verdades absolutas. É um período da moral do dever. Esta noção de maldade inata não está confirmada na psicologia. Veja por exemplo a noção de punição de cada fase do desenvolvimento.
9. COAGIR A CRIANÇA A LEVARÁ À COOPERAÇÃO.
A coação não levará a criança a cooperar. O que promove A cooperação (período do desenvolvimento da moral) é a discussão dos fatos acontecidos. Castigar a criança só ajuda e favorece o nível mais simples de moral levando-a a concluir que o problema surgido já foi resolvido pela punição, tanto que durante muito tempo de seu desenvolvimento opta pela punição inclusive física. Donde se conclui que bater na criança corresponde a um baixo nível de moral e não é uma solução. Tente resolver sempre antes de chegar ao estresse da relação adulto x criança. Seu equilíbrio deve prevalecer. Com o adolescente seja claro quanto as regras a serem seguidas e subtraia dele, quando não seguidas, algo de seu interesse previamente combinado. A coação sempre gera medo. Ensine a criança a fazer regras em conjunto com o adulto.
10. O BEM, É OBEDECER À VONTADE DO ADULTO.
Porque será que os adultos tem mania de achar que o bem é sua vontade? É uma falta de reversibilidade não ver o ponto de vista do outro. Analise a situação e veja que pode ter vários pontos de vista, varias maneiras de ver a mesma situação e muitas soluções que você pode não ter pensado. A vontade adulta muitas vezes é só para facilitar, ser mais rápido, não gerar conflito ou simplesmente não se modificar. O bem deve ser para todos e não somente para os adultos, quando traz muito sofrimento para as crianças devemos rever a proposta .Deixe outros valores prevalecerem mesmo que não sejam os seus.

ALGUMAS SITUAÇÕES DE CONFLITO ENTRE PAIS E CRIANÇAS/ADOLESCENTE

- Horário de dormir;
- Alimentação em geral;
- Vestimentas;
- Diversão;
- Cuidado com objetos pessoais;
- Vocabulário indevido (palavrões);
- Relação com irmãos;
- Higiene pessoal;
- Atividades escolares de casa (dever de casa);
- Leitura;
- Receber ou NÃO principalmente na rua (compra de brinquedos etc...);
- Não obedecer regras estabelecidas.

Sabendo o nível de moral da criança/adolescente os adultos podem propor as regras corretas evitando o conflito. Não podem ser dadas ordens que eles não compreendam. Devem entender sua função ou finalidade.

4 comentários:

Silvia Maria disse...

Oi Beta!
Tenho lido o seu blog, mas ainda não havia comentado...
São muitas as considerações em torno de "como educar os filhos". Muitas vezes julgamos fazer a coisa certa e estamos enganados... é bom ter uma "bússola" por perto para indicar o norte.
Beijos

RICARDO TAVARES disse...

Quero saber se pode me esclarecer algumas duvidas.

RICARDO TAVARES disse...

Bom Dia, sou separado e minha ex-esposa tem a guarda de um filho nosso. Porem em ordem Judicial, ficou 50% de férias com ela e 50% comigo, mas recusou entregar-me ele e ele foi para casa da Avó na cidade de Santo André SP, sendo que ele mora em Lindóia SP. Eu (PAI) em Piracicaba SP. Não acionei o Judiciario para não afetar o psicológico de meu filho (11 anos), mas ele ama estar comigo aqui em Piracicaba. Estão dando tudo de bom para ele, celular, viagem para praia, danones, chocolates, etc... e claro que qualquér criança ama isso. Caracteriza um crime de coação esse fato ? Estou aguardando ainda, pois desde o Ano Novo era para que ele estivesse comigo, mas prefiro muito a conversa amigavel, porem estou prestes a desistir e partir para APELAÇÃO ao Judiciário, ja que não é a primeira vez que a ex-esposa faz isso, inclusive ela mexe com o psicológico dele ameaçando-o de que se ele ficar com o Pai não vai mais querer ver ele, etc... Ja rolou vários processos na justiça, e eu tenho o meu periodo de Guarda que é agora. A Avó me destratou ao fone e mandou que eu procure meus direitos mas queria evitar chegar com oficial de Justiça e polícia para buscá-lo. Pode me ajudar com alguma explicação, e principalmente se há coação nisso ??? Obrigado, Ricardo.

Beta disse...

Ricardo, voce deve lutar pela crianca e o que eles esperam dos pais. Nao esqueca que e muito importante a figura paterna. Se tiver que ser juridico que seja pois a crianca precisa saber que voce luta por ela.Nao desista de seu filho.
Beta